Capela do Rosário em 1895.
Fonte: APCBH Acervo CCNC

Além da Matriz de Nossa Senhora da Boa Viagem existia no arraial do Curral del Rey outros templos destinados ao culto católico, as Capelas do Rosário, de Sant’Anna ou Santana e a Capela de São João Batista, cuja existência ou localização se desconhece, existindo apenas uma citação a seu respeito nas correspondências entre o Governador do Estado e o Bispo de Mariana, datada de 1895 (Acervo CCNC).
A Capela do Rosário existiu no largo de mesmo nome que existiu entre as ruas Guajajaras, Espírito Santo e Avenida Álvares Cabral. Ela se situava um pouco acima do cruzamento entre a Rua da Bahia e Avenida Álvares Cabral. Como podemos ver na foto abaixo ela era de arquitetura simples, em conformidade com as outras Capelas de seu tempo existentes no Estado e não possuía torres sineiras. Como acontecia na Matriz também eram realizados sepultamentos em seu adro, sendo estes proibidos pela CCNC (Comissão Construtora da Nova Capital) devido à insalubridade que causava além da falta de respeito com os mortos e seus parentes, pois os sepultamentos dos cadáveres davam-se literalmente um sobre o outro. A respeito disso escreveu Abílio Barreto em sua “Memória histórica” que “(...) cuja terra entremeada de ossos, acusava excessiva quantidade de cadáveres humanos que havia recebido, além de sua capacidade”, no caso a Matriz da Boa Viagem. O problema foi temporariamente resolvido pela Comissão Construtora que construiu um Cemitério provisório nos fundos da atual Capela do Rosário, no local onde se encontra atualmente o Banco do Brasil na Rua Rio de Janeiro.
A antiga Capela do Rosário foi demolida em 1897 para a abertura das Ruas Guajajaras, Bahia e Avenida Álvares Cabral. Só foi demolida após a construção de uma nova Capela de mesma invocação, localizada na esquina das Ruas Tamoios, São Paulo e Avenida Amazonas, conforme acertado entre o governo e o Bispado de Mariana em 1894.

Capela do Rosário em 1902.
Fonte: Acervo MHAB

Já a Capela de Santana existiu nas proximidades da Praça da Liberdade, na rua de mesmo nome, mais ou menos alinhada com a atual Rua Sergipe, atrás do prédio da antiga Secretaria de Viação. Era uma capela rustica e inacabada como podemos ver na foto abaixo. Foi demolida em 1894 pela Comissão Construtora, uma das primeiras demolições ocorridas no arraial devido ao seu precário estado de conservação.

Frente da Capela de Santana em 1894.
Fonte: APCBH Acervo CCNC

Capela de Santana em 1894. Ao fundo a Serra do Curral.
Fonte: APCBH Acervo CCNC

0 comentários:

Postar um comentário

Comente a vontade

Rios Invisíveis da Metrópole Mineira

gif maker Córrego do Acaba Mundo 1928/APM - By Belisa Murta/Micrópolis